top of page

Este projeto de Corroios salvou 116 toneladas de alimentos de irem para o lixo

Iniciativa da REFOOD recebeu prémio de melhor projeto de solidariedade da AHRESP pelo seu trabalho notável em 2022.






O desperdício alimentar é um dos temas mais prementes quando se fala de sustentabilidade. Nem sempre foi assim. Longe vão os tempos das mercearias a granel, onde se compravam apenas as doses certas de que se necessitavam. Uma forma ideal de evitar desperdícios.


Atiradas para um canto com a proilferação dos super e himermercados, o despertar de uma maior consciência ambiental tem também feito nascer cada vez mais mercearias com conceito a granel. Mas quando isso não é possível, há quem procure atenuar o efeito das compras em excesso. É o caso da REFOOD, que recolhe os excedentes que teriam o lixo como destino.


Esta associação voluntária tem um núcleo em Corroios desde dezembro de 2016, quando a junta de freguesia local decidiu ceder um espaço para a sua atividade e, assim, ajudar famílias carenciadas a partir de excedentes alimentares. Num esforço de toda a equipa, durante o ano de 2022, foi possível salvar e redirecionar 116 toneladas de comida para quem mais precisa.


Todo este trabalho, em articulação com os restantes 59 núcleos que estão espalhados por Portugal, levou à conquista do prémio de melhor projeto de solidariedade da Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, entregue a 3 de junho.


Isabel Carvalho, representante da instituição, revela à New in Seixal que ficou “bastante contente” com o prémio, sobretudo por se tratar de um reconhecimento a nível nacional. Aos 63 anos, é natural de Lisboa e reside em Almada. Neste momento encontra-se aposentada, depois de uma longa carreira de 33 anos como professora e arquiteta.


“Eu estive bastante doente em 2006, estava internada no Hospital Garcia de Horta e lá fui visitada por uma voluntária que esteve a falar comigo num momento em que eu estava muito debilitada fisica e mentalmente. O voluntariado do hospital era feito uma vez por semana e ela na semana seguinte teve o cuidado de vir falar comigo novamente e aquilo para mim fez muito sentido, foi aí que entendi que quando fosse reformada eu ia fazer isto, e foi mesmo isso que fiz, cumpri a minha palavra e passado uma ou duas semanas de entrar na reforma inscrevi-me como voluntária”, recorda Isabel Carvalho.


Após esta promessa, Isabel começou a fazer voluntariado no Hospital Garcia de Horta, depois foi para um centro de dia e finalmente acabou por ingressar na REFOOD de Almada. Como tinha um atelier em Corroios, sabia que a população local também precisava da intervenção deste projeto. Após muito trabalho, dedicação e apoios, foi possível abrir o núcleo que contribui imenso para o bem-estar dos mais necessitados e outras associações como a Cáritas.


“Em dezembro de 2016 o espaço foi cedido pela junta, mas foi preciso instalar água, luz e uma série de situações que fomos ultrapassando com o tempo. Agora já conseguimos concretizar a génese do projeto e estamos a apoiar diretamente as famílias. Neste momento são 29 agregados, por volta de 70 pessoas, mas também apoiamos instituições, pelo que indiretamente acabamos por apoiar a nível alimentar perto de 500 pessoas”, revelou a representante institucional.


Este centro funciona das 16 horas à meia noite e é composto por uma equipa de voluntários que reserva um pouco de tempo para, literalmente, alimentar a ideia de solidariedade. As contas de água, luz e combustível acabam por ficar a cargos dos voluntários. No entanto com a ajuda de parceiros, algumas despesas são atenuadas, como é o caso das deslocações da carrinha da associação ou a reparação de eletrodomésticos.


“Tem corrido bem, tivemos dificuldades de implementação, como todos os núcleos, mas neste momento as coisas estão a correr bem e sentimos muito apoio da junta de freguesia”, diz Isabel enquanto sublinha as principais fontes de excedentes alimentares que colaboram com a REFOOD Corroios, casos do Pingo Doce, Aldi e Continente, bem como algumas pastelarias locais.


Este núcleo possuí seis frigoríficos e duas arcas congeladoras a trabalhar a tempo inteiro, para garantir a preservação máxima dos excedentes alimentares, dos quais os voluntários fazem refeições e servem às famílias que estão inseridas na base de apoio desta instituição. Corroios ainda se destaca por estar em primeiro lugar nas doações de papel e cartão à Amarsul, com cerca de 45 toneladas de material entregues à empresa.


A nível nacional a REFOOD tem mais de 7500 voluntários e serve mais de 150 mil refeições mensais, prevenindo o desperdício de cerca de mil toneladas de bioresíduos.



|Fonte: New In Seixal, 6 de junho 2023

132 views

Comments


bottom of page