O contexto global da pobreza e da fome

10 Fevereiro 2021 Euro Food Bank


Em Setembro de 2015, a Assembleia Geral das Nações Unidas adotou um conjunto de 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), como parte da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável de 2030. O SDG 1 procura "acabar com a pobreza sob todas as suas formas em toda a parte" e o SDG 2 procura "acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e uma melhor nutrição, e promover uma agricultura sustentável".



Pobreza ou exclusão social na UE-28

Em 2018, 109,2 milhões de pessoas estavam em risco de pobreza ou exclusão social, o equivalente a 21,7% da população da UE.


Mais de um quarto da população estava em risco de pobreza ou exclusão social em sete estados membros: Bulgária (32,8%), Roménia (32,5%), Grécia (31,8%), Letónia (28,4%), Lituânia ( 28,3%), Itália (27,3%) e Espanha (26,1%). No extremo oposto da escala, as percentagens mais baixas de pessoas em risco de pobreza ou exclusão social foram registadas na República Checa (12,2%), Eslovénia (16,2%), Eslováquia (16,3%, dados de 2017), Finlândia (16,5%), Países Baixos (16,7%), Dinamarca e França (ambos 17,4%), e Áustria (17,5%).


Um dos cinco indicadores-chave da Europa 2020 é a redução da pobreza através da remoção de pelo menos 20 milhões de pessoas do risco de pobreza ou exclusão social até 2020. Neste momento, apenas 8,2 milhões de pessoas foram removidas do risco de pobreza ou exclusão social.


O Fundo de Auxílio Europeu às Pessoas mais carenciadas (FEAD)


O Fundo de Auxílio Europeu às Pessoas mais carenciadas ajuda as pessoas a darem os seus primeiros passos para sair da pobreza e da exclusão social. O FEAD apoia ações dos estados membros da UE para fornecer assistência material aos mais desfavorecidos, satisfazendo as suas necessidades mais básicas, o que é uma condição prévia para a integração social.

Isto inclui alimentos, vestuário, e outros artigos essenciais para uso pessoal, por exemplo sapatos, sabão e champô. A assistência material tem de ser acompanhada de medidas de inclusão social, tais como orientação e apoio para ajudar as pessoas a sair da pobreza.


As autoridades nacionais podem também apoiar a assistência não material às pessoas mais carenciadas, para as ajudar a integrarem-se melhor na sociedade.

Os Estados-membros da UE podem escolher que tipo de assistência (assistência alimentar ou material de base, ou uma combinação de ambas) desejam prestar, dependendo da sua própria situação, e como os artigos devem ser obtidos e distribuídos, em colaboração com organizações parceiras como os Bancos de Alimentos.


Em termos reais, estão previstos mais de 3,8 mil milhões de euros para o FEAD para o período 2014-2020. Além disso, os países da UE devem contribuir pelo menos 15% em co-financiamento nacional para o seu programa nacional.

Em 2019, 12 membros da FEBA redistribuíram 126.269 toneladas de alimentos FEAD.



Rede FEAD


A Rede FEAD é uma comunidade aberta de membros para pessoas que prestam assistência às pessoas mais necessitadas na Europa. Esta reúne aqueles que trabalham para reduzir as piores formas de pobreza nos países europeus. Isto inclui ONGs a nível da UE, tais como a Federação Europeia de Bancos Alimentares e instituições da UE, organizações interessadas ou que realizam atividades financiadas pela FEAD, e autoridades de gestão nacionais. Proporciona um espaço para a partilha de boas práticas e encoraja novas ideias sobre como prestar assistência não financeira às pessoas mais carenciadas na UE.




Fonte: Euro Food Bank

10 views

Subscreva uma newsletter

que não vai deitar fora

adira ao movimento

Una-se a este movimento e ajude-nos a corrigir o erro.
 

Avenida de Ceuta – Estação de Alcântara-Terra, armaz. 1

1300-125-Lisboa


geral@ucd.pt

Siga-nos
 

  • Facebook
  • Instagram