Factos sobre o desperdício alimentar

22 Julho 2015 FAO



  • SOMOS MAIS DE 7 MIL MILHÕES DE PESSOAS NO PLANETA, DAS QUAIS 925 MILHÕES ESTÃO A MORRER À FOME. AINDA ASSIM, PERDEMOS E DESPERDIÇAMOS ANUALMENTE MAIS DE 1,3 MIL MILHÕES DE ALIMENTOS – OU O SUFICIENTE PARA ALIMENTAR 3 MIL MILHÕES DE PESSOAS.


  • CERCA DE 1/3 DOS ALIMENTOS PRODUZIDOS ANUALMENTE NO MUNDO PARA CONSUMO HUMANO - APROXIMADAMENTE 1,3 MIL MILHÕES DE TONELADAS – FICAM PERDIDOS OU SÃO DESPERDIÇADOS.


  • A PERDA E O DESPERDÍCIO ALIMENTARES SÃO RESPONSÁVEIS POR 4,4 GIGATONELADAS DE EMISSÕES DE GASES COM EFEITO DE ESTUFA (GEE) POR ANO. RELATIVIZANDO, SE A PERDA E O DESPERDÍCIO ALIMENTARES PERSONIFICASSEM UM PAÍS, ESTE SERIA O TERCEIRO MAIOR EMISSOR DE GEE DO MUNDO – SUPERADO APENAS PELA CHINA E PELOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA.


  • AS PERDAS E RESÍDUOS ALIMENTARES TOTALIZAM CERCA DE 680 MIL MILHÕES EM PAÍSES INDUSTRIALIZADOS E 310 MIL MILHÕES EM PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO.


  • PAÍSES INDUSTRIALIZADOS E EM DESENVOLVIMENTO DISSIPAM APROXIMADAMENTE AS MESMAS QUANTIDADES DE ALIMENTOS – RESPETIVAMENTE 670 E 630 MILHÕES DE TONELADAS.


  • FRUTAS E VEGETAIS, ALÉM DE RAÍZES E TUBÉRCULOS, TÊM AS MAIORES TAXAS DE DESPERDÍCIO NA CATEGORIA ALIMENTAR.


  • CERCA DE 88 MILHÕES DE TONELADAS DE ALIMENTOS SÃO DESPERDIÇADOS ANUALMENTE NA UE, COM CUSTOS ASSOCIADOS ESTIMADOS EM 143 MIL MILHÕES DE EUROS.


  • CERCA DE 700,000 TONELADAS DE ALIMENTOS SÃO DESPERDIÇADAS ANUALMENTE NA DINAMARCA EM TODA A CADEIA DE VALOR, DESDE A EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA ATÉ À MESA.


  • OS ALIMENTOS ATUALMENTE DESPERDIÇADOS NA EUROPA PODERIAM ALIMENTAR 200 MILHÕES DE PESSOAS.


  • OS ALIMENTOS ATUALMENTE PERDIDOS OU DESPERDIÇADOS NA AMÉRICA LATINA PODERIAM ALIMENTAR 300 MILHÕES DE PESSOAS.


  • OS ALIMENTOS ATUALMENTE PERDIDOS EM ÁFRICA PODERIAM ALIMENTAR 300 MILHÕES DE PESSOAS.


  • PARA ALIMENTAR 870 MILHÕES DE PESSOAS COM FOME NO MUNDO, TERÍAMOS APENAS DE ECONOMIZAR UM QUARTO DOS ALIMENTOS PERDIDOS OU DESPERDIÇADOS MUNDIALMENTE.


  • ATÉ 2050, A POPULAÇÃO MUNDIAL CHEGARÁ AOS 9 MIL MILHÕES. ATÉ LÁ, A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS DEVERÁ SER 70% MAIS ELEVADA, DE FORMA A RESPONDER À PROCURA. A REDUÇÃO DAS PERDAS E DESPERDÍCIOS ALIMENTARES DEVERÁ ESTAR ENTRE AS PRINCIPAIS ÁREAS DE FOCO.


  • AS PERDAS QUANTITATIVAS MUNDIAIS DE ALIMENTOS E RESÍDUOS POR ANO SÃO DE CERCA DE 35% PARA CEREAIS, ENTRE 40-50% PARA CULTURAS DE RAÍZES, FRUTAS E VEGETAIS, 20% PARA SEMENTES OLEAGINOSAS, CARNE E LACTICÍNIOS E 35% PARA PEIXE.


  • TODOS OS ANOS, CONSUMIDORES DOS PAÍSES RICOS DESPERDIÇAM QUASE TANTA COMIDA (222 MILHÕES DE TONELADAS) QUANTO TODA A PRODUÇÃO ALIMENTAR DA ÁFRICA SUBSARIANA (230 MILHÕES DE TONELADAS).


  • PROCESSAMENTO E SECAGEM INEFICIENTES, ARMAZENAMENTO PRECÁRIO E INFRAESTRUTURAS INSUFICIENTES SÃO FATORES FUNDAMENTAIS PARA A PERDA DE ALIMENTOS EM ÁFRICA. NA ÁFRICA SUBSARIANA, AS PERDAS DE ALIMENTOS PÓS-COLHEITA SÃO ESTIMADAS EM 4 MIL MILHÕES DE DÓLARES POR ANO – O SUFICIENTE PARA ALIMENTAR PELO MENOS 40 MILHÕES DE PESSOAS.


  • AS PERDAS DE ALIMENTOS DURANTE A COLHEITA E NO ARMAZENAMENTO TRADUZEM-SE NUM MENOR RENDIMENTO PARA OS PEQUENOS AGRICULTORES E EM PREÇOS MAIS ALTOS PARA OS CONSUMIDORES MAIS POBRES.


  • A QUANTIDADE DE ALIMENTOS PERDIDOS OU DESPERDIÇADOS TODOS OS ANOS EQUIVALE A MAIS DE METADE DA CULTURA ANUAL DE CEREAIS (2,3 MIL MILHÕES DE TONELADAS EM 2009/2010).


  • O DESPERDÍCIO PER CAPITA DOS CONSUMIDORES ESTÁ ENTRE 95-115 KG POR ANO NA EUROPA E NA AMÉRICA DO NORTE, ENQUANTO OS CONSUMIDORES NA ÁFRICA SUBSARIANA, ÁSIA DO SUL E SUDESTE, DESPERDIÇAM APENAS ENTRE 6-11 KG POR ANO. REFERIMO-NOS A PERDAS E DESPERDÍCIOS ALIMENTARES PER CAPITA, EM FASES DE CONSUMO E PRÉ-CONSUMO.


  • A PRODUÇÃO TOTAL DE ALIMENTOS PER CAPITA PARA CONSUMO HUMANO É DE CERCA DE 900KG POR ANO EM PAÍSES RICOS, QUASE O DOBRO DOS 460KG POR ANO PRODUZIDOS NAS REGIÕES MAIS POBRES.


  • NOS PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO, 40% DAS PERDAS OCORREM NA PÓS-COLHEITA E NOS NÍVEIS DE PROCESSAMENTO, JÁ NOS PAÍSES INDUSTRIALIZADOS MAIS DE 40% DAS PERDAS OCORREM NOS NÍVEIS DE VENDA DE RETALHO E CONSUMO.


  • A NÍVEL RETALHISTA, GRANDES QUANTIDADES DE ALIMENTOS SÃO DESPERDIÇADAS DEVIDO A PADRÕES DE QUALIDADE QUE ENFATIZAM DEMASIADO A APARÊNCIA.


  • A PERDA E O DESPERDÍCIO ALIMENTARES TAMBÉM EQUIVALEM A UM GRANDE DESPERDÍCIO DE RECURSOS, INCLUINDO ÁGUA, TERRA, ENERGIA, MÃO-DE-OBRA E CAPITAL E PRODUZEM, DESNECESSARIAMENTE, EMISSÕES DE GASES COM EFEITO DE ESTUFA, CONTRIBUINDO PARA O AQUECIMENTO GLOBAL E PARA AS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS.


  • NOS PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO, O DESPERDÍCIO E AS PERDAS ALIMENTARES OCORREM PRINCIPALMENTE NAS FASES INICIAIS DA CADEIA DE VALOR DOS ALIMENTOS E PODEM SER RASTREADOS ATÉ RESTRIÇÕES FINANCEIRAS, TÉCNICAS E ADMINISTRATIVAS NAS TÉCNICAS DE COLHEITA, BEM COMO NAS INSTALAÇÕES DE ARMAZENAMENTO E RESFRIAMENTO. O FORTALECIMENTO DA CADEIA DE FORNECIMENTOS, ATRAVÉS DO APOIO DIRETO DOS AGRICULTORES E INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA, TRANSPORTE, BEM COMO NUMA EXPANSÃO DA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS E EMBALAGENS, PODERIA AJUDAR A REDUZIR A QUANTIDADE DE PERDA E DESPERDÍCIO ALIMENTARES.


  • EM PAÍSES DE MÉDIO E ALTO RENDIMENTO, OS ALIMENTOS SÃO DESPERDIÇADOS E PERDIDOS PRINCIPALMENTE EM FASES POSTERIORES DA CADEIA DE FORNECIMENTO. DIFERENTEMENTE DA SITUAÇÃO NOS PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO, O COMPORTAMENTO DOS CONSUMIDORES DESEMPENHA UM ENORME PAPEL NOS PAÍSES INDUSTRIALIZADOS. O ESTUDO IDENTIFICOU A FALTA DE COORDENAÇÃO ENTRE OS ATORES DA CADEIA DE FORNECIMENTO COMO FATOR CONTRIBUINTE. ACORDOS ENTRE AGRICULTOR-COMPRADOR PODEM SER ÚTEIS PARA AUMENTAR O NÍVEL DE COORDENAÇÃO ENTRE INDÚSTRIAS, RETALHISTAS E CONSUMIDORES, BEM COMO ENCONTRAR UM USO BENÉFICO PARA ALIMENTOS QUE ATUALMENTE SÃO DESPERDIÇADOS. ESTAS SÃO MEDIDAS ÚTEIS PARA DIMINUIR A QUANTIDADE DE PERDAS E RESÍDUOS.


  • EM SETEMBRO DE 2015, AS NAÇÕES UNIDAS ADOTARAM OS OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS) DA ONU, ENTRE ELES O OBJETIVO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA ONU 12.3: ATÉ 2030, REDUZIR METADE DO DESPERDÍCIO GLOBAL ALIMENTAR PER CAPITA, NOS NÍVEIS DE RETALHO E CONSUMO E REDUZIR AS PERDAS ALIMENTARES AO LONGO DAS CADEIAS DE PRODUÇÃO E DE FORNECIMENTO, INCLUINDO PERDAS PÓS-COLHEITA.


  • A UE E OS SEUS ESTADOS-MEMBROS ESTÃO EMPENHADOS EM CUMPRIR OS OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS) DA ONU, ADOTADOS EM SETEMBRO DE 2015, INCLUINDO A META DE REDUZIR PARA METADE O DESPERDÍCIO PER CAPITA DE ALIMENTOS NO RETALHO E NO NÍVEL DE CONSUMIDOR ATÉ 2030, E REDUZIR AS PERDAS DE ALIMENTOS AO LONGO DAS CADEIAS DE PRODUÇÃO E FORNECIMENTO DE ALIMENTOS.


  • EM SETEMBRO DE 2015, DE ACORDO COM O OBJETIVO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 12.3 DA ONU, O DEPARTAMENTO DE AGRICULTURA DOS ESTADOS UNIDOS (USDA) E A EPA ANUNCIARAM A PRIMEIRA META DOMÉSTICA DE REDUZIR PARA METADE A PERDA E O DESPERDÍCIO ALIMENTARES DOS EUA ATÉ 2030.

Fontes: FAO

144 views