Cantina do IPB vai ser monitorizada para desenvolver ferramentas que ajudem a evitar o desperdício

No #55 episódio do podcast Made in Tech falamos com a empreendedora dinamarquesa Mette Lykke sobre como a tecnologia permite que uma missão "sustentável, apaixonante e que entusiasma quem quer fazer bem no mundo" como a Too Good To Go também possa ser uma opção racional e um bom negócio. O melhor exemplo? A Tesla.


MDB




O grupo de Tecnologias Inteligentes do Laboratório Colaborativo MORE e o CeDRI, desenvolveram um sistema de monitorização do desperdício alimentar na cantina alternativa do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) que ao longo dos próximos meses, vai recolher dados com o objetivo de desenvolver ferramentas que permitam diminuir o desperdício alimentar na restauração coletiva, informou a instituição de ensino.

Trata-se de um projeto mobilizador inserido no BIOma Smart Monitoring Concept que em poucos segundos recolhe os dados através de fotografias e pesos dos tabuleiros que tornam depois possível o desenvolvimento de algoritmos baseados em inteligência artificial, identificando os alimentos desperdiçados.

A participação é voluntária e a equipa de investigadores tem sensibilizado todos os utilizadores da cantina alternativa a colaborar nesta recolha, de forma a que todos os dias possa ser adquirida o máximo de informação possível.

O projeto tem o fim previsto para junho de 2023. Os dados recolhidos pelo BIOma na cantina alternativa serão então processados pelos investigadores numa fase posterior à recolha, para identificar o perfil do desperdício, ou seja, qual o grupo alimentar que apresenta maior desperdíci. A informação apurada será enviada aos responsáveis pela confeção e empratamento para que possam ser feitos alguns ajustes para diminuir, em tempo real, o desperdício alimentar em ambientes de restauração coletiva.




|Fonte: Mdb, 10 de Fevereiro 2022

16 views