top of page

WhyWaste. Startup que reduz desperdício alimentar do retalho em 75% entra em Portugal

Só este ano a startup brasileira evitou a perda de mais de duas toneladas de alimentos no retalho. A entrada em Portugal está programada para 2023, com a abertura de um escritório em Lisboa.


DN



Estima-se que milhões de toneladas de alimentos sejam desperdiçadas todos os anos na fase de retalho devido à rudimentaridade dos métodos de monitorização de validade dos produtos - e as consequências são vastas, indo das grandes perdas económicas aos incalculáveis estragos no planeta. Mas, para bem comum, os tempos são de mudança e há já quem tenha aposentado o velho bloco de notas para dar lugar à Inteligência Artificial (IA) e ao Big Data, a fim de reduzir o desperdício alimentar nos supermercados até 75%. Falamos da brasileira WhyWaste, startup vencedora da categoria de soluções tecnológicas do Programa Banco Montepio Acredita Portugal que, em 2022, evitou o desperdício de mais de duas toneladas de alimentos e que se prepara agora para ajudar também os supermercados lusos a serem mais sustentáveis e a eliminarem perdas com artigos vencidos.


Presente em 19 países, em grandes empresas de retalho como a alemã Makro, a espanhola Dia e a britânica Co-Op, a startup oferece uma solução digital que acompanha o tempo de vida dos produtos, através da combinação de uma base de dados, na qual são inseridas as datas de validade de todos os alimentos e de um sistema de IA, que identifica quando é que um produto está numa data crítica, tendo em conta indicadores como a procura e sazonalidade. "O objetivo é avaliar estas variáveis e ajustar o preço, resolvendo dois desafios: convencer o cliente de que aquele é um bom preço, sem destruir a margem ou a imagem da retalhista", explica Ricardo Salazar, country general manager da WhyWaste, em entrevista ao Dinheiro Vivo.


Apesar de ser um "trabalho contínuo" e de existir uma "grande curva de aprendizagem", os resultados são quase imediatos, assegura. "Com a informação certa, conseguimos compreender quais são os produtos que geram mais prejuízo e, por exemplo, ajustar as quantidades de produção." A integração da tecnologia da startup nas cadeias de supermercados passa, inicialmente, por um período de teste de dois a três meses, para que seja possível aplicar algumas medidas e compreender o comportamento dos consumidores. Depois desta fase, os administradores fazem uma avaliação do impacto e decidem se faz ou não sentido continuar com o serviço da WhyWaste. A garantia deixada pelo gestor é de uma redução de 40% a 60% da perda de produto por validade e de 90% do tempo dos colaboradores dedicados a esta função. ´





|Fonte: DN, 25 de Dezembro 2022

53 views
bottom of page