Um consumo mais responsável e sustentável

Dinheiro Vivo


Até 2050, a Organização das Nações Unidas prevê que a população global atinja os 9,7 mil milhões de pessoas. Este dado representa um terço de bocas a mais para alimentar, exigindo mais 70% de alimentos. As embalagens alimentares desempenharão aqui um papel fundamental para garantir que os alimentos se mantenham seguros, conservem os seus valores nutricionais e estejam disponíveis para um número crescente de pessoas em todo o mundo.

No entanto, também podem causar problemas para o nosso planeta. Emissões de gases com efeito estufa, esgotamento dos recursos fósseis, resíduos em aterros sanitários, na natureza e em cursos de água são apenas algumas das preocupações. Então, qual a melhor alternativa? Estudos demonstram que as embalagens de cartão têm uma pegada de carbono mais baixa ao longo de todo o ciclo de vida, uma vez que são compostas, em média, por 70% de cartão proveniente das árvores. Ao ser produzido a partir de árvores - que não só se regeneram naturalmente na natureza como absorvem CO2 à medida que crescem -, o cartão tem, no geral, um impacto mais positivo no meio ambiente.

De qualquer forma, não existe ainda no mercado, uma solução perfeita. São muitos os especialistas que se encontram envolvidos na procura desta solução, porque todos nós reconhecemos que é necessário, mas não chegámos lá ainda.

Então, como podemos criar a embalagem sustentável ideal para alimentos e bebidas, que tanto protege o planeta, como assegura a segurança e a disponibilidade dos mesmos? Temos alguns pontos sempre em consideração a não descuidar: a exploração florestal responsável, embalagens neutras em carbono, renováveis, com qualidade, seguras e recicláveis.

Para o fazer com sucesso, acreditamos que temos pela frente cinco desafios principais. Precisamos de utilizar materiais renováveis ou reciclados para não acabarmos com os recursos do nosso planeta e, ao mesmo tempo, obtê-los de uma forma em que a biodiversidade seja protegida. Temos de assegurar uma produção e distribuição de embalagens neutras em carbono, de modo a reduzir o impacto negativo no meio ambiente. Temos de continuar a criar embalagens seguras e convenientes, assegurando que reduzimos o desperdício de alimentos e que as pessoas em todo o mundo tenham acesso a alimentos de qualidade. Temos de garantir que todas as embalagens sejam totalmente recicláveis e temos de criar um sistema de reciclagem integrado, que mantenha os materiais em utilização. Temos, também, de garantir o que se chama fim de vida, pois precisamos de maximizar a utilização de materiais com o menor impacto na natureza, porque os sistemas de resíduos não são ideias e nem todos os materiais podem ser infinitamente reciclados.

As embalagens de cartão à base de papel, por serem feitas principalmente de materiais renováveis, têm todo o potencial para enfrentar estes desafios, e proteger a natureza desde o início do ciclo de vida da embalagem até ao seu fim. E são transportadas vazias, o que significa que precisam de menos camiões para o transporte. Ao longo da vida útil do produto, é possível reduzir as emissões dos gases de efeito estufa em 50% em relação a uma nova garrafa de plástico.*

Na Tetra Pak, estamos a assumir a liderança nesta jornada rumo à embalagem sustentável ideal para alimentos e bebidas. Hoje, 100% das embalagens de cartão da Tetra Pak são certificadas pelo Forest Stewardship Council® e o plástico que é produzido à base de cana-de-açúcar é certificado pela Bonsucro, o que significa que apenas utilizamos materiais que contribuem de forma responsável para a proteção da biodiversidade e que apoiam a população local.

Estamos empenhados em alcançar zero emissões de gases com efeito estufa nas nossas próprias operações e em utilizar 100% de eletricidade renovável até 2030, com a ambição de alcançar zero emissões de gases com efeito de estufa para toda a cadeia de valor até 2050. Desenvolvemos continuamente embalagens de alimentos sustentáveis que nunca comprometem a segurança dos alimentos ou bebidas. Estamos a trabalhar para reduzir a utilização de alumínio e plástico, enquanto aumentamos a percentagem de conteúdo à base de papel nas nossas embalagens. Mas não vamos ficar por aí. O nosso objetivo é criar embalagens feitas totalmente de materiais renováveis ou reciclados de origem responsável, que sejam totalmente recicláveis e neutros em carbono. Faz tudo parte da nossa jornada rumo à criação da embalagem para alimentos e bebidas mais sustentável do mundo.

Podemos dizer que em Portugal damos mais um passo na direção certa. Pela primeira vez, é possível beber água embalada em cartão e com carimbo nacional. A nova embalagem da água mineral premium Healsi, da Chamusca, uma vila portuguesa no Ribatejo, é a primeira e a única marca nacional do setor das águas com esta oferta, ainda.

A mudança já chegou e está nas ruas, mas acreditamos que a principal (r)evolução não será sobre um material. Iremos evoluir enquanto sociedade quando as empresas mudarem efetivamente os seus sistemas de produção e distribuição e passarem a contribuir para um mercado mais circular e sustentável. Por fim, estará nas nossas mãos, como consumidores, a mudança de comportamento que contribuirá para um planeta autossustentável.

* Fonte: Estudo de ciclo de vida IFEU 2020

| Fonte: Dinheiro Vivo 2 de Setembro 2021

3 views