“Sustento: Realidade Insaciável”. Documentário sobre desperdício alimentar estreia em Julho

Comunidade cultura e Arte



Documentário “Sustento: Realidade Insaciável” é uma produção Reboot. O evento de estreia, gratuito, contará com a presença de produtores locais, atividades para toda a família, atuações musicais ao vivo, tertúlia com participantes do documentário e o 1o visionamento da peça, ao ar livre.


“Sustento: Realidade Insaciável” assenta num olhar sobre a sociedade e a sua relação com os alimentos que consome. Numa história dividida em 4 atos, é feito um retrato atual do problema do desperdício alimentar em Portugal e nas suas implicações sociais e ambientais, com olhos postos num futuro de soluções e esperança.




O documentário, com o apoio do Instituto Marquês de Valle Flôr (IMVF), Lidl, Grupo Ageas, DECO PROTESTE, KPMG e APCER, conta com 7 entrevistas a figuras que se dedicam diariamente ao combate ao desperdício alimentar: Catarina Barreiros (Loja Do Zero), Anna Masiello (R-Coat), Paulo Dias (Hortocambaia), Isabel Soares (Fruta Feia), Carina Dias (Too Good To Go), Marta Pereira (Refood) e Paula Policarpo (Zero Desperdício).


O evento de estreia está marcado para dia 16 de julho, nos jardins do Palácio Pimenta, com entrada gratuita. Será uma tarde recheada de animação e atividades para toda a família, que culmina no 1o visionamento de “Sustento: Realidade Insaciável”, ao ar livre.




O momento alto da noite será antecipado pelo contacto com produtores locais, atuações ao vivo e uma conversa informal com os participantes do documentário sobre desperdício alimentar, com o objetivo de envolver o público e criar um momento de partilha cultural, social e gastronómica.


A alimentação é um tema basilar na nossa sociedade. Enquanto nos dedicamos sem sucesso para acabar com a fome em 2030 (ODS 2), o desperdício alimentar atinge recordes de 30% da produção total. A insustentabilidade da atual cadeia, desde a produção ao consumo, revela-se pelas condições a que os alimentos e os trabalhadores estão sujeitos.


A utilização de produtos que danificam os solos, as explorações intensivas, o desperdício em todas as fases da cadeia, as condições precárias de trabalho e remuneração no setor agrícola são já todas realidades normalizadas. É a escassez de rastreabilidade e estudos, em Portugal, sobre o desperdício alimentar, que impulsionou a ONG Reboot a realizar um documentário focado nesta temática.


|Fonte: Comunidade Cultura e Arte, 28 de Junho 2022

50 views