top of page

Programa de combate ao desperdício salvou 29 milhões de refeições em seis anos

Através da aplicação anti desperdício, a Phenix tem salvo cabazes de alimentos do desperdício a “um terço do preço final de venda ao público”. Em três anos, a aplicação já conta com mais de 210.000 utilizadores e com mais de 1.200 estabelecimentos aderentes.





Em seis anos, o combate ao desperdício salvou do lixo 29 milhões de refeições e apoiou mais de mil IPSS. Os números são da Phenix, que chegou a Portugal em 2016, com um programa de conversão de excedentes de grandes superfícies comerciais em doações a Instituições Particulares de Solidariedade Social. Mais tarde, criaram também uma app antidesperdício, que permite ligar o comércio local ao consumidor final.


Nos últimos seis anos, já evitaram a destruição de 29 milhões de refeições, o que representa um crescimento de 68% desde o início da actividade, salvaram quase 17 toneladas de alimentos e evitaram a emissão de mais de 33 milhões de toneladas de CO2 para a atmosfera.


Atualmente, estão presentes em mais de 350 lojas de retalho, que incluem as insígnias Sonae, Brisa, E'leclerc, Hotéis Júpiter, entre outros. Apoiam ainda mais de 1.072 instituições. Só nos últimos dois anos, o serviço de doações teve um crescimento de 63%.

Em 2022, no top cinco dos artigos mais entregues para doação estão os produtos de limpeza (73%), os produtos para animais (73%), os produtos de pequeno-almoço (64%), os produtos de padaria e de pastelaria (59%) e os produtos têxteis (58%).


Alice Campos, Coordenadora de Núcleo na Refood Braga, uma das instituições apoiada pela Phenix, lembra que que durante a pandemia, com os restaurantes encerrados, “foi a Phenix que permitiu que a Refood Braga mantivesse as portas abertas. Neste momento, apoiamos 197 pessoas, das quais 56 crianças e 7 adultos em situação de emergência alimentar. A Phenix possibilita que consigamos colmatar as necessidades destas pessoas e, simultaneamente, combater o desperdício alimentar”.


Também Fábio Almeida, Coordenador Geral da Associação Cultural Moinho da Juventude, admite que “as doações Phenix têm tido um impacto bastante significativo na dinâmica quotidiana da nossa associação. Tem contribuído no aumento da capacidade de resposta da nossa Cantina Social perante o aumento dos pedidos de solidariedade por parte das famílias, em situação de vulnerabilidade económica, cujos pedidos triplicaram como resultado da conjuntura pandémica. Esta sinergia não seria possível sem a cooperação da Phenix”.


Através da aplicação anti desperdício, a Phenix tem salvo cabazes de alimentos do desperdício a “um terço do preço final de venda ao público”. Em três anos, a aplicação já conta com mais de 210.000 utilizadores e com mais de 1.200 estabelecimentos aderentes.


Frederico Venâncio, diretor geral da Phenix Portugal, faz um balanço positivo da operação no país. “Particularmente nos últimos dois anos de trabalho, apesar do desafio que foi enfrentar uma pandemia, otimizámos e desenvolvemos novas tecnologias e plataformas, que resultaram em salvar, só em Portugal, mais de 13 milhões de quilos de alimentos. São muitas instituições e associações apoiadas, muitas famílias com refeições asseguradas, e este percurso enche-nos de orgulho.”


Mas não querem ficar por aqui. O diretor geral garante que “Ainda há muito por fazer, e um esforço conjunto ainda maior é o que nos falta para continuarmos a fazer mais e melhor. O apoio e interesse de todas as partes é essencial para cuidarmos do nosso planeta, da nossa casa”.


Em 2023, a Phenix quer aumentar os resultados, beneficiar ainda mais instituições e pessoas em situação de carência, e aumentar os parceiros doadores, “que contribuem para a redução do desperdício e para um país socialmente mais responsável e sustentável”.




|Fonte: RR, 7 de Dezembro 2022

3 views

Comments


bottom of page