Portugal: Bancos Alimentares contra a Fome recolheram 1695 toneladas de alimentos

Isabel Jonet, presidente da organização, destaca «resultado extraordinário» na campanha que voltou aos supermercados


Agência Ecclesia



Lisboa, 30 mai 2022 (Ecclesia) – Os Bancos Alimentares contra a Fome recolheram 1.695 toneladas de alimentos, este fim de semana na campanha nacional, conforme comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

“Fizemos mais 72 toneladas do que em maio de 2019, mais 4,4%, apesar do aumento dos preços” dos alimentos, no contexto atual, disse Isabel Jonet, presidente da organização.

Os alimentos recolhidos vão começar a ser distribuídos já a partir da próxima semana, contribuindo para ajudar a suprir as necessidades alimentares de cerca de 400 mil pessoas, apoiadas por 2.600 instituições, quer através de cabazes de alimentos, quer através de refeições confecionadas servidas em lares, creches, apoio domiciliário, cantinas sociais, entre outro, indicou a responsável, em comunicado.

“Os portugueses são extraordinários. É comovente, é um resultado extraordinário”, reforçou.

Os alimentos mais doados foram produtos não perecíveis, como leite, arroz, azeite, massas, açúcar, cereais de pequeno almoço, bolachas, grão e feijão, acrescentou.

Quanto aos pedidos de ajuda, Isabel Jonet disse estarem a aumentar, “não só por parte das pessoas, como por parte das instituições, porque muitas ainda não viram renegociados os seus acordos com a Segurança Social e têm que dar a resposta nas valências de lares e de creches, a fazer a comida, e está tudo mais caro”.

A recolha de alimentos promovida pelos Bancos Alimentares regressou neste fim de semana aos supermercados, na primeira campanha depois do confinamento imposto pela pandemia da covid-19, e envolveu cerca de 40 mil voluntários.

A campanha “Ajuda Vale” tem disponíveis ainda vales em todos os supermercados até dia 5 de junho ou no site www.alimentestaideia.pt, um portal de doações online.

O Banco Alimentar foi criado em Portugal em 1991 com a missão de lutar contra o desperdício e distribuir apoio a quem mais precisa de se alimentar, em parceria com instituições de solidariedade e com base no trabalho voluntário. Existem atualmente 21 Bancos Alimentares (nas zonas de Abrantes, Algarve, Aveiro, Beja, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Cova da Beira, Évora, Leiria-Fátima, Lisboa, Madeira, Oeste, Portalegre, Porto, S. Miguel, Santarém, Setúbal, Terceira, Viana do Castelo, Viseu).

A Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares representa e congrega a rede dos Bancos Alimentares a nível nacional e internacional.



|Fonte:Agência Ecclesia, 30 de Maio 2022

2 views