Polo de Portimão do Banco Alimentar festeja uma década

Teve início no dia 2 de junho a primeira edição da Semana de Combate ao Desperdício Alimentar, data em que o polo de Portimão do Banco Alimentar do Algarve completou uma década de existência.


Região Sul



A efeméride foi assinalada com a inauguração das obras de requalificação do armazém situado na zona industrial da Coca Maravilhas e o descerramento de placa comemorativa, na presença do vereador João Gamboa.

Na ocasião, o presidente do Banco Alimentar do Algarve, Nuno Alves, recebeu as chaves do novo veículo elétrico que passa a estar ao serviço do núcleo local, que contou com a comparticipação do Município, tendo dirigido uma palavra de reconhecimento a «cada uma das variadíssimas pessoas que, ao longo dos últimos dez anos de operação, têm feito esta casa, independentemente da sua colaboração, porque todas contribuíram ativamente para que este projeto seja aquilo que é, fazendo toda a diferença no barlavento».


«Devo agradecer de forma muito especial o trabalho que a Câmara de Portimão tem feito através da sua equipa inexcedível, que nos tem acompanhado ao longo deste caminho e nos lança desafios que procuramos acompanhar dentro do possível», disse o responsável.


Por sua vez, o vereador João Gamboa destacou a relevância social do Banco Alimentar, ao afirmar que «não há palavras para descrever todo o trabalho ao serviço da sociedade, seja ao nível do combate à fome e ao desperdício alimentar, seja no incentivo ao voluntariado», afirmando que «temos a felicidade de contar em Portimão com uma série de instituições de ação social, com as quais criámos uma cultura de trabalho em equipa e coordenação, o que nos permite uma capacidade de reação rápida quando acontece algo».


«Estaremos sempre disponíveis para contribuir com aquilo que for necessário, pois na nossa área de atuação nunca devem haver linhas vermelhas ou limites que travem qualquer tipo de ajuda em prol da comunidade», afirmou o autarca.

A estrutura algarvia do Banco Alimentar Contra a Fome, com armazéns em Faro e Portimão, é a quarta do país a nível de operação. Ao longo desta década, a base operacional de Portimão, que serve toda a zona do Barlavento, desde Vila do Bispo até Albufeira, distribuiu pelos carenciados desta sub- região um total de 8.4 milhões de quilos de bens alimentares, equivalentes a 9.1 milhões de euros. No sentido de fazer face às exigências derivadas da Covid-19, o armazém de Portimão do Banco Alimentar do Algarve ampliou a sua capacidade de intervenção, com horário alargado de funcionamento das 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h30, estando o período da manhã reservado ao atendimento às instituições beneficiárias.


O ano passado o total das recolhas de excedentes pelo Banco Alimentar superou largamente os números de 2020, perfazendo 793.609 kg, dos quais 110.009 kg foram recolhidos em supermercados e produtores da sub-região.


A última campanha de recolha de alimentos realizou-se no passado fim-de-semana de 28 e 29 de maio e mobilizou cerca de 300 voluntários na zona do barlavento, tendo sido recolhidas cerca de 40 toneladas de alimentos para o armazém de Portimão, que posteriormente serão distribuídas pelas 42 instituições beneficiárias do Banco Alimentar na região barlaventina.


No âmbito dos apoios extraordinários implementados pela autarquia ao abrigo do Protocolo Covid, o núcleo de Portimão do Banco Alimentar recebeu 15 mil euros, tendo sido assinado já neste ano um contrato-programa de funcionamento no valor de 2.287,20 euros, referente ao projeto “Luta contra o desperdício alimentar”.


|Fonte: Região Sul, 6 de Junho 2022

0 views