Inflação impulsiona esforços de combate ao desperdício de alimentos


Grande Consumo




A taxa de inflação em Portugal acelerou para 8,7%, em junho, um máximo desde 1992 e também um aumento face aos 8% registados em maio. Segundo sondagens recentes, a alimentação é o sector em que as famílias portuguesas mais sentem a inflação. De acordo com um estudo da DECO Proteste, a inflação deixou o cabaz de 63 produtos, criado com base no consumo típico das famílias – peixe, carne, vegetais, fruta, conservas, massas, farinhas, laticínios, entre outros – em média 10% mais caro.


No entanto, por outro lado, esta situação pode estar a aumentar a consciência e o interesse dos consumidores em reduzirem o desperdício alimentar. É o que mostra um estudo de junho, realizado pelo Capgemini Research Institute, onde se verifica que a consciência sobre o desperdício de alimentos mais que duplicou, nos últimos dois anos, passando de 33% para 72% os consumidores que dizem estar mais atentos a este problema. 56% dos consumidores assume combater o desperdício de alimentos para economizar custos e por questões de sustentabilidade.


O aumento dos preços dos alimentos é apontado como um dos principais motivos deste crescente interesse em reduzir o desperdício, como forma de economizar no orçamento familiar, em casa. Um dado também referido neste estudo da Capgemini “Reflect. Rethink. Reconsider. Why food waste is everybody’s problem” sugere que 91% dos consumidores prefere comprar alimentos de marcas e empresas que estão a tomar medidas e têm políticas e soluções para reduzir o desperdício.



Redução de desperdício


Esta tendência de maior consciência, por parte do consumidor, leva à ação na redução de desperdício de alimentos, algo que a aplicação Too Good To Go também tem verificado no comportamento dos seus utilizadores. A aplicação, que conecta consumidores a negócios alimentares, que disponibilizam o seu excedente diário de alimentos, a preços mais acessíveis, confirmou que, entre os meses de março e maio, e coincidindo com a subida da taxa de inflação em Portugal, houve um aumento de 11% no número de utilizadores que estão usar e a adquirir produtos alimentares (Magic Boxes) através da aplicação, em comparação com os três primeiros meses do ano.


Este é, sem dúvida, um período complexo e, quando os preços sobem e impactam algo tão básico e fundamental como a alimentação, é natural que, enquanto consumidores, procuremos formas de otimizar o nosso orçamento familiar. O nosso utilizador sempre esteve ciente da importância de um consumo mais consciente e sustentável, mas este aumento de procura leva-nos a crer que somos cada vez mais, também, uma oferta com benefício de custo, também ele muito relevante. Uma forma simples e prática de adquirir produtos de qualidade a preços muito mais acessíveis, algo que faz hoje, mais do que nunca, uma diferença considerável no orçamento das famílias“, refere Nuno Plácido, Country Manager da Too Good To Go em Portugal.


De acordo com os dados fornecidos pela Too Good To Go, um terço das Magic Boxes adquiridas na aplicação, ao longo dos últimos meses, foram provenientes de supermercados. Muito devido à diversidade de produtos alimentares que as mesmas contêm, estas tornam-se uma alternativa de compra que possibilita o acesso a uma grande variedade de produtos básicos e alimentos essenciais. Produtos que, simplesmente, por terem pequenas “imperfeições” estéticas, ou por estarem perto do fim da data de validade, seriam descartados.


Too Good To Go


Mais de um terço de toda a comida produzida é desperdiçada. Um problema com impacto ambiental, pois o desperdício alimentar é responsável por 10% das emissões dos gases de efeito estufa no mundo, mais do que toda a indústria de aviação, mas também com um grande impacto social e financeiro.


Em Portugal, a Too Good To Go já contabiliza mais de um milhão de utilizadores, 10% dos portugueses já estão familiarizados com a app (Portugal continental e ilhas). Os portugueses já salvaram, através da aplicação, mais de 1,6 milhões de refeições de serem desperdiçadas, o equivalente a quatro milhões de quilogramas de CO2e, o mesmo que é emitido por 10.478 voos Lisboa-Londres.


Na aplicação, o consumidor tem acesso a diversos parceiros, desde marcas como Continente, Auchan, Minipreço, Go Natural, Celeiro, Padaria Portuguesa, Danone, Nestlé ou Super Bock a pequenos negócios ou restaurantes locais, entre muitos outros, que disponibilizam Magic Boxes na Too Good To Go, dos mais variados produtos. Sendo que o utilizador, ao adquirir estas Magic Boxes, beneficia sempre de uma redução de 70% face ao valor dos produtos em loja. Ou seja, por exemplo, uma seleção de produtos no valor de nove euros é vendida, na aplicação, por 2,99 euros, e uma de 15 euros por 4,99 euros.


|Fonte: Grande Consumo, 07 de Julho 2022

15 views