Estudo revela discrepância entre consciência e comportamento face ao desperdício alimentar

Apesar de grande maioria das pessoas estar ciente da importância do combate ao desperdício alimentar em casa, uma grande percentagem continua a desperdiçar.


Dinheiro Vivo



As pessoas têm consciência do problema do desperdício alimentar a nível mundial, mas ainda assim continuam a deitar ao lixo alimentos que podiam ser aproveitados. Esta é a principal conclusão de um estudo global realizado pela YouGov e encomendado pela empresa de impacto positivo Too Good To Go.


Os resultados do estudo, divulgados esta segunda-feira, no Dia Internacional da Consciencialização sobre Perdas e Desperdício Alimentar, têm por base as respostas de mais de 17.824 inquiridos, distribuídos por 12 países, incluindo Portugal.


O relatório identifica que apenas 37% dos entrevistados, que afirmaram saber que reduzir o desperdício de alimentos é uma das formas mais eficientes para combater as alterações climáticas, responderam que não desperdiçam nenhum alimento.


Mas 55% dos inquiridos confessa que ainda desperdiça algum tipo de alimento, sendo 22% deste universo acredita que as quantidades são tão reduzidas que não vale a pena aproveitar.


Em Portugal, 41% dos inquiridos afirma não desperdiçar comida, mas a nível global 35% dos inquiridos diz desperdiçar. Já 72% dos inquiridos portugueses afirma estar ciente que a primeira solução para combater as alterações climáticas é a redução do desperdício alimentar.


As famílias portuguesas com crianças até aos seis meses são o grupo com menos cuidados nesta matéria: apenas 8% responderam que não desperdiçam.


Para Madalena Rugeroni, country manager da Too Good To Go Portugal e Espanha, estes resultados permitem concluir que "o desperdício alimentar doméstico não é algo que acontece intencionalmente", é o "resultado de pequenos comportamentos, aparentemente insignificantes", mas aos quais "deveríamos ter mais atenção".


A responsável lembra também que para combater este problema é necessário uma atitude proativa dos produtores e dos governos. Na sua opinião, os produtores de alimentos a nível mundial devem tornar a rotulagem de datas de validade mais clara. Por sua vez, os governos devem estipular "metas concretas de redução do desperdício de alimentos nos seus planos de redução de carbono".


Segundo dados da WWF & Tesco de 2021 são desperdiçamos 2,5 mil milhões de toneladas de comida por ano, ou seja, 1/3 da comida mundial. Em Portugal são cerca de um milhão de toneladas de alimentos por ano.


Para mantermos o nosso planeta abaixo de um aumento da temperatura global de 2ºC até 2100, será necessário reduzir o desperdício alimentar em 50% até 2050.


A Too Good To Go é uma aplicação que está presente em 16 países e que permite a estabelecimentos alimentares vender os seus excedentes a potencias clientes. Este marketplace já conta com quase 45 milhões de utilizadores, 900 mil em Portugal.





|Fonte: Dinheiro Vivo, 27 de Setembro 2021

74 views