DECO Algarve lança campanha para combater desperdício alimentar

A campanha tem como objetivo alertar para a importância do combate ao desperdício alimentar e na mudança de comportamentos dos consumidores.


Observador



A Associação Portuguesa de Defesa do Consumidor (DECO) no Algarve lança esta terça-feira uma campanha cujo objetivo é o de alertar para a importância do combate ao desperdício alimentar e na mudança de comportamentos dos consumidores.


Em declarações à agência Lusa, Sandra Rodrigues, da delegação do Algarve da DECO, explicou que a campanha, em suporte vídeo, pretende sensibilizar as pessoas “para um problema que tem um grande impacto na economia”.

“O desperdício alimentar tem um grande impacto do ponto de vista económico, não só nos países, como nas pessoas, consumindo recursos ambientais, já de si escassos”, apontou.

O vídeo, intitulado “Alimentar sem Desperdiçar”, contém informação e conselhos “para sensibilizar e ajudar as pessoas a mudarem os seus comportamentos, combatendo o desperdício alimentar”, sublinha.


Segundo a DECO, que lança a campanha a propósito do Dia Mundial da Segurança Alimentar, estima-se que cada português desperdice, em média, cerca de 134 quilogramas de alimentos por ano.


Segundo a associação, na Europa são deitados ao lixo todos os anos cerca 89 milhões de toneladas de alimentos, enquanto cerca de 1,1 mil milhões de pessoas passa fome, ou seja, um sexto da população mundial.


O vídeo, produzido no âmbito do microprojeto “Alimentar Sem Desperdiçar”, lançado em março pela DECO, pretende “potenciar o combate ao desperdício alimentar”, de acordo com a associação.


O microprojeto, que já alcançou mais de 100 consumidores do Algarve, é financiado pelo ACCIONAD-ODS (ações para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), no âmbito do programa europeu INTERREG V Espanha/Portugal (POCTEP).


A iniciativa tem ainda o apoio financeiro das ações locais para cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, em especial os ODS nos pontos “Cidades e Comunidades Sustentáveis”, “Consumo e Produção Sustentável” e “Ação contra a Mudança Global do Clima”.


|Fonte: Observador, 7 de Junho 2022

0 views