Consciência do consumidor em relação ao desperdício alimentar mais do que duplicou

Grande Consumo



Mais de 90% dos consumidores preferem marcas que estão a tomar medidas para reduzir o desperdício alimentar, enquanto três quintos (60%) dos consumidores se sentem culpados por desperdiçar alimentos, descobriu um novo estudo da Capgemini.


De acordo com o estudo, “Reflect. Rethink. Reconsider. Why food waste is everybody’s problem”, a consciência dos consumidores em relação ao desperdício alimentar mais do que duplicou nos últimos dois anos, uma vez que o aumento dos preços dos alimentos, os desafios da cadeia de abastecimento, a pandemia e as preocupações com a sustentabilidade estão a ter impacto no comportamento dos consumidores.


O estudo concluiu que, atualmente, 72% dos consumidores estão conscientes da sua pegada de resíduos alimentares, em comparação com apenas 33% antes de 2020. Além disso, cerca de 61% dos consumidores querem que os retalhistas e as marcas façam mais para resolver este problema.


Constatou também que os consumidores já estão a estudar formas de reduzir o seu desperdício alimentar. Tem havido um crescimento de 80% de ano para ano na procura de métodos para aumentar a vida dos produtos alimentares. A poupança de custos (56%), as preocupações com a fome no mundo inteiro (52%) e as alterações climáticas (51%) são as principais razões que contribuem para esta mudança.


A crescente consciencialização dos consumidores e as iniciativas que estão a ser tomadas pelas empresas para combater os resíduos alimentares é um passo positivo“, disse Tim Bridges, líder mundial do sector Produtos de Consumo, Retalho e Distribuição na Capgemini. “Com a ajuda da tecnologia, as organizações podem acompanhar e avaliar os resíduos alimentares em cada fase da cadeia de valor alimentar para permitir uma acção no momento certo, ao mesmo tempo que se envolvem com os seus consumidores, inculcando novos comportamentos e tornando-os um participante activo na redução de resíduos“.


Uma cadeia de abastecimento ágil e inteligente pode também permitir uma colaboração eficaz ao longo da cadeia de valor para criar um ecossistema sustentável e pronto para o futuro“.

Iniciativa


Enquanto muitas empresas estão a tomar medidas para combater o desperdício alimentar nas lojas, bem como nas casas dos consumidores, muitos acreditam que estas iniciativas não vão suficientemente longe. Por exemplo, 60% das organizações dizem que ajudam os consumidores a compreender termos como “melhor antes”, “consumir até” e “data de validade”, mas apenas 39% dos consumidores estão satisfeitos com o facto de esta informação ser suficientemente clara.


Os consumidores querem que as organizações façam mais em áreas como a inovação do produto, embalagem, clareza dos rótulos de datas e educação do consumidor. Por exemplo, os consumidores gostariam de ver rótulos digitais (códigos QR, etc.) que lhes forneçam mais informações sobre o percurso e a qualidade do produto.


De facto, os consumidores sentem que são demasiadas vezes deixados à sua própria sorte no que diz respeito à redução do desperdício alimentar. Quando se trata de aumentar a longevidade dos alimentos em casa, dois terços (67%) vão para fontes de informação de terceiros (amigos, família, influenciadores, e meios de comunicação social) com apenas um terço (33%) a obter informação de embalagens, anúncios ou campanhas geridas por fabricantes e retalhistas de alimentos.



|Fonte: Grande Consumo, 20 de Junho 2022

33 views