Cientistas procuram travar desperdício de 50 milhões de toneladas anuais


Multi News


Deve ser um gesto familiar na sua cesta de fruta: deitar fora bananas porque não as comeu a tempo antes de ficarem castanhas e moles. Pois bem, os cientistas apresentaram uma solução que pode ser revolucionária: o fenómeno da mudança de cor foi retardado, o que ofecere esperança na redução de toneladas de desperdício alimentar.


As bananas perdem o brilho e rapidamente ficam moles por causa do excesso de oxigénio. A fruta mais popular do mundo é regularmente ignorada nas saladas de frutas – pois também escurece os demais ingredientes. Agora, cientistas da Universidade Estadual da Flórida querem mudar as coisas.


Os investigadores lançaram uma nova luz sobre o fenómeno ao simular padrões de manchas em cascas de banana. Muitas frutas ficam castanhas quando cortadas, danificadas ou armazenadas por longos períodos de tempo – um processo causado pelo ar e reações enzimáticas. O processo leva a cerca de 50 milhões de toneladas anuais de desperdício de alimentos, pois as lojas e os consumidores deitam fora bananas devido à sua aparência pouco apetitosa.


“Em 2019, a produção total de bananas foi estimada em 117 milhões de toneladas, tornando-se uma das principais culturas do mundo”, explicou Oliver Steinbock, principal autor do estudo e professor do Departamento de Química e Bioquímica da universidade americana, em comunicado. “Quando as bananas amadurecem, formam inúmeras manchas escuras que são familiares para a maioria das pessoas e são frequentemente usadas como indicador de maturação. No entanto, o processo de como essas manchas são formadas, crescem e o seu padrão resultante permaneceu mal compreendido até agora.”


As concentrações de oxigénio e o grau de escurecimento da casca de banana mostraram que as manchas surgem durante uma janela de dois dias e se expandem rapidamente, mas depois misteriosamente param. A causa raiz sugere que estratégias de mitigação podem competir com a engenharia genética e armazenar a fruta em recipientes refrigerados ou sob atmosfera modificada.


O estudo, publicado na revista científica ‘Physical Biology’ pode acabar com a rejeição das bananas – elas ficam castanhas devido a uma enzima chamada PPO (polifenol oxidase). As bananas amadurecem as outras frutas porque libertam etileno. O gás causa o amadurecimento, ou amolecimento da fruta, pela quebra das paredes celulares, conversão de amidos em açúcares e desaparecimento de ácidos.


A formação das manchas foi retardada pela diminuição dos níveis de oxigénio em seus minúsculos locais de formação. “O escurecimento de frutas continua a ser um grande desafio para a indústria alimentar”, diz Steinbock. “O nosso estudo oferece um modelo de observação de banana que é capaz de capturar a sua evolução num contexto fisicamente significativo e que pode ser aplicado a procedimentos para mitigar o desperdício de alimentos.”




|Fonte: Multi News, 16 de Maio 2022

2 views