top of page

Alimentação segura: sabe mesmo tudo sobre este tema?

A campanha #EUChooseSafeFood pretende ajudar os cidadãos a tomar decisões informadas sobre as escolhas alimentares diárias, e ainda explica a ciência por trás da segurança alimentar da União Europeia.






Quais são as regras fundamentais dos prazos de validade de um alimento? Como ler os rótulos de um produto e saber se é alérgico/a? De que maneira eficaz se pode combater o desperdício alimentar? O que contamina os nossos alimentos? Estas podiam ser questões dadas nas aulas escolares, mas a verdade é que algumas delas continuam a intrigar os adultos.No entanto, é para isso que a EFSA — Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos — trabalha anualmente, através da sua campanha #EUChooseSafeFood, altamente informativa relativamente ao que à alimentação diz respeito.


A EFSA tem como objectivo da campanha deste ano (EuChooseSafeFood 3.0)​ — que conta em Portugal com o seu ponto focal nacional a ASAE (Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, a autoridade administrativa de Portugal especializada nas áreas de segurança alimentar e fiscalização económica, com a missão de avaliação e comunicação dos riscos na cadeia alimentar) — consciencializar os cidadãos europeus acerca de quatro temas fundamentais: alergénicos; contaminantes alimentares; desperdício alimentar e higiene alimentar.


Este ano, o foco da campanha #EUChooseSafeFood é a segurança alimentar, um problema que se intensifica no Verão, naturalmente, devido ao aumento das temperaturas, mas também por causa das férias - que muitas vezes deixam, incondicionalmente, os nossos frigoríficos com bens perecíveis lá dentro à espera do regresso - e da redução natural do tempo de vida médio dos alimentos associado à estação.



Quatro noções essenciais a saber sobre segurança alimentar


  • Se tem alergias, está tudo nos rótulos, é preciso aprender a lê-los. A verificação é feita nos rótulos dos alimentos pré-embalados, que indicam os ingredientes alergénicos e a informação para os alimentos que não são pré-embalados;

  • Consumir até” refere-se à segurança dos géneros alimentícios. É uma menção que indica a utilização de um alimento até uma determinada data, após a qual o alimento é considerado não seguro para consumo e pode fazer adoecer o consumidor. Esta menção aparece em alimentos frescos, altamente perecíveis, peixe, carne, saladas e lacticínios;

  • Consumir de preferência antes de” refere-se à qualidade dos géneros alimentícios. Pelo que, desde que sigamos as instruções de conservação, os alimentos serão seguros para comer após a data de durabilidade mínima, mas podem não ter o mesmo sabor ou textura. Após esta data, não há garantia de que o alimento seja tão fresco, saboroso, crocante como antes, mas não deixará o consumidor doente. Portanto, não é necessário deitá-lo fora, evitando o desperdício alimentar;

  • Ter cuidado com a acrilamida, um químico que se forma naturalmente em produtos alimentares amiláceos quando são cozinhados a altas temperaturas (acima de 120 °C). Um truque dado nesta campanha? Não deixar torrar os alimentos ao ponto de ficarem com zonas queimadas.



A importância daquilo que mantém a vida: a alimentação


Em 2023, a campanha, iniciada em Maio passado, é a maior de sempre, tendo a bordo 16 países — Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, Chéquia, Grécia, Irlanda, Itália, Letónia, Polónia, Portugal, Roménia, Eslováquia, Eslovénia e Macedónia do Norte —, e procura ajudar os cidadãos a pensar de forma crítica sobre as escolhas que fazem diariamente em matéria alimentar, à medida que também optimiza as suas vidas.


Como o Verão é a estação de altas temperaturas, este ano a campanha consiste em ensinar a ler os rótulos dos alimentos, compreender os aditivos, e ajudar na preparação e no armazenamento dos alimentos, medidas que em muito ajudam a combater o desperdício e a prolongar a vida dos produtos.


Para tal a ASAE é a entidade parceira ideal. “A EFSA trabalha com a ASAE, enquanto seu Ponto Focal Nacional que articula com as demais autoridades responsáveis pela segurança alimentar, e com cientistas de toda a Europa para garantir que os alimentos sejam seguros, saudáveis, de fácil acesso e sustentáveis”, afirma Filipa Melo de Vasconcelos, subinspectora-geral da ASAE.


“A campanha #EUChooseSafeFood estabelece a ligação entre a ciência no domínio da segurança alimentar e os alimentos que acabam nos nossos pratos, capacitando os consumidores para fazerem melhores escolhas alimentares”, acrescentou Filipa Melo de Vasconcelos, garantindo que as equipas da ASAE estão motivadas “ao verificar que a campanha está a ganhar cada vez mais força.”



A quem se destina? O que já alcançou?


A campanha almeja chegar aos cidadãos europeus, jovens pais, às pessoas com interesse na segurança alimentar e na ciência, entre os 25 e os 45 anos, e destaca o papel e as descobertas dos cientistas europeus que trabalham neste domínio: o da segurança alimentar.


A campanha mostra #EUChooseSafeFood ser eficaz junto deste público-alvo: de acordo com as estatísticas de 2022, a proporção de pessoas expostas às mensagens da campanha aumentou de 2 em 10, em 2021, para 4 em 10, em 2022. No último ano, 70% dos cidadãos declararam confiar na União Europeia e nos governos nacionais no que diz respeito à segurança alimentar, o que representa um aumento de 10% em relação a 2021. Para participar e guardar a informação, quiçá partilhá-la, basta aceder a esta página.



Para garantir higiene alimentar, devemos obedecer a seis regras:


  • Manter tudo limpo, sempre;

  • Separar crus de cozinhados;

  • Cozinhar completamente os alimentos;

  • Manter os alimentos a temperaturas seguras;

  • Descongelar em segurança;

  • Usar água potável.



|Fonte: Público, 22 de junho 2023

31 views

Comments


bottom of page